Comportamento cristão

Assim como os livros de Daniel e José, a história do livro de Ester é sobre um judeu que foi salvo de uma conspiração de morte e chegou a um alto cargo num governo pagão. Porém o relato no livro de Ester parece ser totalmente secular, uma vez que há a ausência de menção a Deus, ao templo ou à lei. Mesmo sendo uma apresentação no plano puramente humano, o tema principal é o poder soberano de Deus de trabalhar inclusive por meio de pagãos, a fim de proteger o seu povo, ainda que pareça que Ele está totalmente ausente.
Muitas vezes pensamos que precisamos estar falando o nome de Jesus, de Deus ou da Igreja para que estejamos  sendo testemunhas vivas do poder de Deus. Dificilmente as pessoas do seu convívio não sabem da sua fé, não é mesmo? Inclusive algumas fazem questão de jogar na sua cara que você “não bebe porque é crente”, “não mente porque é crente”, “não fala palavrão porque é crente”, e por aí vai…
Reparem que Ester só teve sua fé revelada quando ela mesma contou ao rei, porém suas atitudes já eram admiradas e ela já era respeitada, de forma que tal revelação não alterou a consideração do seu marido. Além disso, aqueles que perseguiam seu povo, sabiam porque o faziam, e quando foram humilhados, também sabiam que era a fé dos judeus que os protegia.
Além disso, a atitude de fé do povo judeu, de jejuar e orar por 3 dias, foi complementada pela atitude de coragem e inteligência da rainha, ao oferecer banquetes ao rei, para só depois conversar com ele.
Não houve desespero; na verdade, Ester teve domínio próprio, não deixou a ansiedade e o medo tomarem conta; mas fez um plano, apresentou-o a Deus, orou e jejuou pelo seu sucesso e então entrou em ação. No final o povo venceu.
E essa história, sem tocar no nome de Deus, serve de testemunho até os dias de hoje.
E a sua vida? Vai deixar marca na história de alguém? Vai servir de exemplo a ser contado? Não permita que a sua consciência seja aliviada pelo fato de você estar falando e falando de Deus. Isso qualquer um faz, um gravador pode fazer, um outdoor pode fazer. Mas agir de maneira a influenciar pessoas e salvar vidas, isso só filhos de Deus podem fazer.
Um último detalhe: essa postagem é sobre comportamento cristão, não sobre evangelismo. Seu comportamento na sua família, no seu trabalho, etc, vão fazer com que as pessoas ao seu redor sintam atração ou rejeição pela sua fé, pelo seu Deus. Evangelizar ou pregar o evangelho, é outra coisa. Que pode vir a ser uma consequência das suas atitudes, em uma oportunidade que surgir. É claro que nada impede que a pessoa seja evangelizada pelas suas atitudes; porém no seu ambiente de convivência você pode se tornar insuportável se resolver ficar pregando o evangelho para quem não está interessado. Dê uma olhada aqui e veja algumas passagens bíblicas com o termo evangelizar.
Obr. Lúcia
luci[email protected]
Pin It

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>